quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Em Meus Horizontes

Não crio, não recrio, nem sei inventar
Sou da parte da criação, não um criador
Sem promessas para não compremeter o que aprendi
Vejo o céu azul mas ao longe densas nuvens
Queria saber onde fica o pôr do sol mas o horizonte não me permite
São linhas imaginárias que nos impedem prosseguir
As fronteiras que construimos não deveriam ser recriadas
Mas o que sabemos é que somos humanos
Podemos levar longos tempos para construção e frações para derribar
O que nos leva a sermos perfeito é o gosto de continuar a viver e ser feliz.