sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Poesia Borbulhante (participação de Jhenny Fer)

Criamos, se possível recriamos;
 Inventamos, se possível reinventamos...
 o coração de um poeta é um mar de mistérios,
 lugar este, onde nasce a criatividade que nos sustenta.
 E nesse mar inspirador procuramos e moldamos as palavras ao recriar,
surgindo as ideias do coração daquele que tem sede de amar ao criar.
 Palavras embaralhadas, palavras desprendidas como em borbulho,
 sem fôlego o poeta se inspira para buscar o mais puro oxigênio da criatividade,
 falando de amor, cuidando de uma leitura que toca corações e retoca as opiniões.