domingo, 13 de janeiro de 2013

Nas Janelas Da Paixão

Tu és a brisa que me tocas ao abrir a janela do saber
Leve frescor de tua doce voz transforma meus pensamentos
Contemplo a bela paisagem de tua presença
Sem a certeza da clareza dos céus, meu dia ilumina-se
Vais passando na minha vida como as películas de filmagem
Rodam em minha mente e me enlouquece como um dramalhão
Abro os braços apenas pra te sentir e te respirar
Não tenho certeza do que se atravessa em minha alma
Só sei que me aperta quando não te vejo
Sou um vidro quebrado jogado ao chão nos dias sem ti
Fico em um canto contando o tempo para ser varrido
Palha seca com peso de uma rocha praiana
Aquilo que mais desejo torna-se mútuo e recíproco entre nós
Te avistar de longe é como um raio de luz nos olhos
Velocidade de apaixonar-se diariamente em frações de segundos
Não sei se é amor, mas sei que me faz tão bem.