quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Humanidade

O que somos?
Nem ao menos podemos decifrar nossas origens
Desconhecido prazer de conhecer a felicidade
Mentes que se atormentam com sofrimento alheio
Mãos estendidas avistamos quando tropeçamos
Seres humanos ilegais somos neste mundo injusto
Impiedade é o estandarte das civilizações atuais
Apenas tentamos esconder o convívio e sermos o inverso da sociedade
Combates diários com gigantes, beijamos a lona, respiramos o chão
Vitórias incontestáveis, sangue acelerável, espírito transbordante
Desconhecido futuro...
Talvez o amanhecer explicaria a razão do ontem
A aurora escreveria nosso diário de bordo
Somos passageiros inseguros, incrédulos
Assim viajamos, não podemos retornar
Sempre guiados pelo amor que nos foi projetado
Alma feliz, assim diferenciamos dos tolos
Verbalizando a bondade e a alegria.