sábado, 7 de janeiro de 2012

Meu Deserto


Busco um oásis em meio a esta imensidão
Quero saciar-me da sede de que me mata
Te quero ao meu encontro e matar minha sede
Meus olhos queimam, meu corpo arde
Onde está o teu frescor que me alivia?
Estou perdido e sem horizonte
Sem você minha vida é um deserto
Quando te encontro, um novo mundo se encontra
Não vejo mais a tempestade de areia
Você me faz enxergar a beleza por seus olhos
Sou saciado pela tua boca que me toca
Sou aliviado pela tua liberdade que me atrai
O deserto se desfaz quando te vejo
O oásis é formado quando estamos juntos
A recompensa é mútua por você existir
Adeus deserto! Eu tenho em quem me comprazer
Por ti lutarei até o fim
Meu frescor, meu deserto, meu oásis, meu amor.